Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

desabafos e afins

notas aleatórias (ou algo mais complexo)

notas aleatórias (ou algo mais complexo)

10.01.22

Escolho a sombra, que é de onde venho, o que melhor me fica, o que neste momento faz mais sentido. Não posso lutar para sempre contra quem já venceu; às vezes o nosso oponente é mais forte do que nós... Faz parte.

Sei que fiz o melhor que consegui. Sei que esfolei pele e alma a tentar, e isso basta, ainda que mais ninguém veja. Eu sei da minha história completa, e embora não entenda o motivo de algumas coisas, só eu sei o porquê de tantas outras.

Talvez um dia me lembre que adoro escrever. Talvez um dia me apaixone pela vida. Talvez um dia me consiga curar. Ou não, porque no fundo tenho perfeita consciência de que isto são apenas suposições de uma menina que é lírica demais.

31.12.21

Não vou ser ingrata e dizer que foi tudo péssimo... Claro que não foi. Só que apesar dos momentos bons, a verdade é que este ano foi uma nódoa daquelas que não saem nem com o melhor produto do mercado. A minha vida mudou... A minha rotina também. E eu sofri mais do que consigo colocar em palavras. Chorei tanto, tantos dias, tantas lágrimas. Senti-me sozinha. Estive sozinha. Houve um sismo de magnitude 8 cá dentro. Não só o suportei calada, como ainda fiquei para apanhar os cacos de tudo o que em mim se quebrou.

26.12.21

Andava a pensar numa amiga, e por acaso calhou ela ligar a dizer que tinha um doce para mim e a perguntar se o podia ir buscar à porta de sua casa. Fui. Quando me deu o doce, afirmou: "fico muito feliz por te dar isto", e eu agradeci esticando o braço com o punho fechado para ela bater o dela no meu, como agora tanto se faz. Ela é tão querida, e a prova disso é que depois desse toque me pediu um carinho mais a sério... Pediu para me fazer uma festinha no braço. Eu preferi puxá-la para um meio-abraço; um abraço que durou apenas o tempo de eu lhe dizer: "gosto tanto de ti!". Assim que nos separamos, perguntou-me a sorrir: "gostas?".

Gosto. Claro que gosto. Sou lá eu gaja de mentir sobre sentimentos! Se digo que gosto, é porque gosto mesmo.

 

É uma pena que algumas pessoas sejam tão falsas e vazias a ponto de dizerem sentir o que não sentem ou de camuflarem o que efectivamente sentem. Depois são as pessoas como nós, como eu e como ela, que deixam de acreditar.

08.12.21

Oito e dez da manhã. Senti um peso em cima de mim, peso esse que rapidamente se moveu distribuído em quatro pequenos apoios que me percorreram todo o corpo. Abri os olhos e encontrei um par de olhos ansioso e um focinho colado ao meu nariz. Soltei um risinho e instantaneamente recebi lambidelas na cara enquanto via, mais ao fundo, um rabinho a dar a dar.